sexta-feira, julho 07, 2006

A Nossa Alface e Pepino

Esta semana já começamos a tirar pepino do nosso, finalmente!!! Este é delicioso, já provamos e deixamos alguns dos melhores exemplares para semente.

100% Biológicos (não certificados), mais uma vez sentimos a enorme diferença da qualidade do produto assim como na forma saudável como se desenvolve.





Nesta próxima semana já vamos começar a cortar alface. Mais uma vez já a provamos e comprovamos que produzir em MPB (produção biológica mas não certificada) compensa.



3 comentários:

Neftos disse...

À pouco tempo que leio o vosso blog, mas sempre com grande interesse. Acerca deste post, fiquei com algumas dúvidas. Afirmam: "sentimos a enorme diferença da qualidade do produto assim como na forma saudável como se desenvolve" e "produzir em MPB (produção biológica mas não certificada) compensa".
No que consiste a produção biológica não certificada? Porquê compensa, em relação à certificada? Como é influência a qualidade e desenvolvimento?
Não sei se já escreveram algum post acerca deste assunto (só fiz uma breve busca).
Parabéns pelo projecto, continuem.

Pedro M. Rocha disse...

Cara Neftos,

Tentarei responder da melhor forma ao comentário deixado e o qual agradecemos.
Parece-nos que existe alguma confusão.
Não existe qualquer diferença em termos de qualidade entre um produto biológico certificado e um que não o seja. A certificação, como a palavra indica apenas certifica o consumidor que esse produto é produzido em MPB, ou seja exuiste um controlo.
No nosso caso e visto estarmos numa fase muito inicial do nosso projecto, não temos produtos biológicos certificados, uma vez a certificação ser cara.
Isto não quer dizer que não estejamos a introduzir prácticas biológicas.
Pode-se deduzir, uma vez que não temos os custos de certificação que podemos practicar preços mais competitivos, mas também existe o outro lado da moeda. Quem não confia, exige a certificação dos produtos.
Resumindo, o nosso parentesis é apenas uma forma de deixar bem claro que nós ainda não temos certificação.

Em relação à forma como influência a qualidade de desenvolvimento, é muito simples.
Uma planta que se desenvolve sem o auxilio de químicos, pesticidas, hormanos, etc...tende naturalmente a se tornar uma planta mais resistente, da mesma forma como ao longo das diferentes gerações se adapta cada vez mais ao clima e solo onde é cultivada.

Neftos disse...

Muito obrigada. Agora sim, já percebi.
Visto que, os produtos da agricultura biológica são melhores e mais saborosos (eu própria já passei a consumi-los) não seria mais proveitoso incentivar os produtores a utilizarem este método? A mim parece-me que sim; assim sendo, porque razão é a certificação tão cara (se é para o bem de todos)? Não sei qual a posição do Ministério da Agricultura, mas parece-me que deveria partir daí um enorme incentivo, com apoios e acordos, para motivar os produtos "convencionais".
Mais uma vez agradeço, continuarei a visitar o vosso site. Infelizmente nem tão cedo vou experimentar os vossos produtos, porque moro em Lisboa; se algum dia for ao Porto faço questão de os procurar.
Força!