quinta-feira, outubro 26, 2006

Exemplo da Natureza

As matas, floresta e outras comunidades naturais de plantas sobrevivem há muitos séculos sem qualquer intervenção externa. Por exemplo, uma planta que se desenvolva num ambiente selvagem, desenvolve-se utilizando apenas dióxido de carbono (e azoto caso se trate de uma leguminosa) do ar e o alimento que a terra lhe oferece.Não utilizando quaisquer recursos valiosos nem causa poluição. E ainda que não se possa dizer que um jardim ou horta biológicos sejam totalmente naturais, os métodos biológicos tentam seguir o exemplo na natureza o máximo possível.Na natureza, tudo é reciclado; nada é desperdiçado. As folhas e frutos podem cair da planta, para a terra, onde se decompõem e tudo o que contêm de bom ficará disponível para a mesma planta ou para outras que se desenvolvam na mesma área. A sua matéria orgânica ajudará a manter a estrutura do solo. Os seres que comem as plantas (herbívoros), tais como as lagartas ou coelhos, podem comer partes da planta e os excrementos que produzem volta de novo para a terra, assim como os próprios seres quando morrerem.Por outro lado as lagartas podem ser comidas por pássaros e os coelhos por raposas. Estas criaturas, por sua vez produzirão, também excrementos e também voltarão para a terra quando morrenrem.Na natureza não é necessário recorrer a fontes externas, uma vez que tudo é reciclado dentro do sistema. Todo este ciclo é continuamente mantido em funcionamento pelos microorganismos que se encarregam da decomposição das matérias vegetais, excrementos e corpos mortos.Estas criaturas essenciais tedem a ser menosprezadas, ignoradas ou até mesmo exterminadas pelos métodos químicos artificiais de horticultura ou jardinagem.Num jardim ou numa horta, deve reciclar-se o máximo possível, ainda que seja necessário recorrer a fontes exteriores para manter a fertilidade. No entanto, os fertilizantes utilizados num jardim ou horta biológicos são de origem natural e têm também de ser processados pelos organismos presentes no solo, antes da parte boa neles inclusa ser disponibilizada às plantas. Os fertilizantes artificias que se dissolvem rapidamente na água do solo e que são directamente absorvidos pelas plantas, ignorando os seres do solo, não são utilizados, uma vez que estes podem causar um desenvolvimento exagerado das plantas, situação mais propícia ao desenvolvimento de pragas e doenças. As matérias naturais cotêm uma variedade maior e mais equilibrada de alimento para as plantas do que os fertilizantes químicos artificiais.Além dos nutrientes principais, azoto, potássio e fosfato, também fornecem micronutrientes e microelementos, essenciais a um crescimento equilibrado.Muitos deles também ajudam a melhorar a estrutura do solo.Para minimizar os custos de energia de produção e transporte, os materiais utilizados para manter o solo fértil devem ser, sempre que possível, produtos reciclados, de preferência no local de origem.

A Horta e o Jardim Biológicos (pag.9) de Pauline Pears e Sue Stickland - Publicaçõe Europa América

2 comentários:

Anónimo disse...

muchas gracias por creares um nuevo movimiento por la natureza....
muchos besos biologicos:)
Ana....e pMiguel!

Diogo Araújo disse...

muito legal essa reportagem que você postou,acredito que o mundo seria maravilhoso se tudo funcinasse tudo natural.É isso ai temos que publicar esses tipos de reportagens para as pessas se concientizarem.Eu tenho um blogger comentando sobre a natureza da uma passada lá e comenta é pensenatura.blogspot.com até mais Diogo Araújo